Gastronomia

De sardinhas à ovas: A arte das conservas em lata de Portugal

Diferentes tipos de conservas portuguesas de peixe e suas embalagens coloridas

A prática de conservar alimentos não é recente, preservar ingredientes por meio da desidratação, fermentação ou salga são métodos milenares. Em Portugal, o bacalhau é um dos exemplos mais famosos de alimentos preservados, porém os enlatados portugueses, não ficam para trás e possuem um importante papel na história e cultura do país.

Leia também: Os 10 pratos com bacalhau que você precisa experimentar em Portugal

Uma breve história das conservas em latas

Tudo começou quando, em 1810, o francês Nicolas Appert, publicou seu método de conservação utilizando potes herméticos de vidro no livro “A Arte de Conservar Todas as Substâncias Animais e Vegetais”. Logo na sequência, o inglês Joseph-Pierre Colin adaptou a técnica e introduziu no mercado as sardinhas enlatadas. Dando o pontapé inicial para a produção em larga escala de alimentos enlatados, com a sua fábrica de conservas em Nantes, na França.

As conservas de Portugal

Em 1853, foi criada a primeira empresa de conservação de peixes em Portugal. Anos depois, impulsionado pelas duas grandes guerras, Portugal expandiu consideravelmente a sua produção, abastecendo os países da Europa e seus soldados com um alimento fácil de transportar, nutritivo e de longa validade.

Desde então, os portugueses se mantiveram ativos no aprimoramento de novas técnicas de conservas enlatadas, o que fez do produto uma especialidade no país. A praticidade das latas saíram do cenário de guerra e entraram pra valer no dia-a-dia das famílias portuguesas.

Quatro latas abertas com diferentes tipos de conservas em lata de peixe
Tipos diferentes de conservas enlatadas | © olenayeromenkonphotos

Principais tipos de conserva enlatadas em Portugal

A sardinha enlatada, apesar de ser a mais conhecida e tradicional conserva portuguesa, não é a única. Em Portugal, é possível encontrar o mar em lata, as opções incluem lulas, polvos e ovas dentro de uma infinidade de conservas com diferentes receitas e azeites. As mais comuns:

  • Sardinha em lata, a conserva clássica. Encontrada com diferentes opções de azeites, molho de tomate e outros.
  • Ovas de sardinha, o caviar português – são conservadas em azeite e só precisam de torradas com manteiga para ficarem perfeitas;
  • Polvo, encontrado puro só com azeite ou já temperado com alho ou molho de tomate. Vale comer direto da lata ou cozinhar à portuguesa, deitando-os sobre batatas para que cozinhe no próprio molho que vem na lata;
  • Atum, esqueça o atum enlatado que é vendido por aí. Em Portugal, você encontra cortes de primeira qualidade do peixe em conserva. Experimente as conservas de barriga de atum, a parte mais carnuda do pescado;
  • Cavala, este peixe costuma ser enlatado em filetes, bom para comer com torradas e em saladas;
  • Lulas, essa iguaria vai ainda mais longe, é praticamente um prato dentro da lata, a lula vem com um molho a base de tomate, cebola, pimentão e azeite, há também versões só com azeite;
  • Bacalhau, como não poderia faltar em Portugal, também existe o bacalhau em lata. Com muitas variedades de cortes e temperos diferentes – da versão simples só com azeite até misturado com grão-de-bico.

Leia mais: Conheça os principais pratos típicos de Portugal

Processo Produtivo das Conservas Enlatadas em Portugal

  1. Antes de começar a produção, é feita uma análise de qualidade sensorial que avalia o odor, textura e classifica se o pescado é próprio para a conservação;
  2. Em seguida, começa a produção com o peixe em salmoura, o tempo vai depender da salinidade da água e qualidade do alimento;
  3. Depois disso, retira-se as partes que não serão conservadas e o peixe vai para um processo chamado de cravação, que significa enlatar. Nesta etapa são adicionados os molhos em excesso para que as latas fiquem totalmente cheias. Então as latas são lacradas hermeticamente, ou seja, de maneira que não entre ar;
  4. Por último, as latas fechadas são aquecidas a mais de 100 graus celsius, essa parte do processo cozinha o pescado e esteriliza as latas, possibilitando que o produto se mantenha conservado sem a adição de conservantes.

Conservas enlatadas para turistas – De experiência ao souvenir

Com um ar “vintage” e embalagens que contam a história do país, as latas de sardinhas viraram um ícone de design da indústria portuguesa e um símbolo da cultura gastronômica do país. E dão um ótimo souvenir! Atualmente, você encontra latinhas com estampas descoladas, desenhos retrôs e com datas e acontecimentos históricos. 

Em destaque, uma ótima ideia para presentes é dar uma olhada na loja ‘O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa‘, que vende latinhas com diferentes anos estampados.

conservas portuguesas em lata para presente e souvenir
Sardinhas em lata com o nosso ano de nascimento – presente de um grande amigo

Visita à fábricas e museus

Para entender mais sobre a história das conservas em lata, é possível visitar as conserveiras durante a sua viagem em Portugal.

Por exemplo, em Matosinhos, região do Porto, dá para visitar a Conserva Pinhais, fábrica da marca Nuri. Lá é possível conhecer o processo artesanal de produção de sardinhas enlatadas, além de visitar o Museu Vivo Pinhais que conta a história da tradição.

Agora, se estiver por Lisboa, não deixe de visitar a ‘A conserveira de Lisboa‘ que além de vender as conservas, é um armazém histórico.

Caso compre algumas latinhas como lembrança da viagem, não se esqueça de verificar as regras para entrar em seu país com este tipo de alimento.

Imagem de capa | © Jurriaan Persyn via Flickr

Similar Posts