O que fazer em Roma – História, cultura e muita comida

Coliseu durante o dia, um dos lugares para visitar em Roma

Roma é um museu a céu aberto. Seus monumentos, praças e edificações nos dão a dimensão do que foi um dos maiores impérios do mundo, conectando Europa, África e Ásia. Conhecer esses lugares é vivenciar um dos capítulos mais importantes da história da humanidade.

Mas visitar Roma não é somente uma viagem ao passado. É uma aventura através dos sabores de uma das cozinhas mais apreciadas no mundo. Das massas clássicas aos pratos contemporâneos, come-se muito bem na capital italiana. Para aproveitar ao máximo a sua viagem e desfrutar o melhor da cultura italiana, o ideal é planejar um roteiro em Roma de 3 a 5 dias, e para isso, preparamos essa lista essencial com o que fazer em Roma pela primeira vez na cidade.

Comer como um romano em Osterias e Trattorias

A gastronomia italiana dispensa apresentação, e o seu roteiro em Roma estará incompleto sem uma listinha gastronômica para provar. A variedade de massas é tão grande quanto os molhos, mas alguns pratos não podem faltar na sua lista. O Spaghetti à Carbonara é um deles. O molho é feito com bacon, bochecha de porco, ovos e pimenta do reino. Outro clássico é o Spaghetti all’Amatriciana, que leva azeite, bochecha de porco, vinho branco, tomates, pimenta e queijo pecorino ralado.

O Cacio e Pepe, por outro lado, é um molho com poucos itens: queijo pecorino, sal e pimenta-do-reino ralada na hora. Aparentemente simples, o segredo é harmonizar os ingredientes para que o molho fique na consistência certa. Mas nem só de massas vivem os romanos, outros pratos clássicos para provar na cidade são as preparações com alcachofra, como por exemplo o Carciofi alla Romana ou o Carciofi alla Giudia (a versão frita).

Onde comer em Roma?

Esses e outros pratos são facilmente encontrados em osterias, trattorias e ristorantes. Mas há diferenças significativas entre esses lugares. A origem das osterias remonta à época dos peregrinos, que paravam em estabelecimentos rústicos à beira da estrada para descansar e comer. A simplicidade continua sendo a marca das osterias, com poucas mesas, cardápio reduzido e atendimento familiar.

Os ristorantes são lugares mais requintados, com cardápio bem elaborado e um serviço mais formal. As trattorias têm um ambiente menos formal que os ristorantes e um cardápio mais variado que as osterias.

Caminhar pela Roma Antiga 

Para mergulhar na história do Império Romano, é preciso passar pelo Coliseu, Palatino e Fórum Romano. O primeiro é o principal símbolo da cidade e os outros dois formavam o centro administrativo e religioso da Roma Antiga. Por estarem bem próximos, é possível visitá-los usando o mesmo bilhete. 

Dica: Não há uma ordem de visitação, mas é importante guardar o bilhete porque a entrada do Coliseu é separada do acesso às ruínas do Palatino e Fórum Romano. Outra diferença entre eles é que a visita à arena dos gladiadores tem que ser agendada enquanto nos outros dois não há essa necessidade. 

templo de Saturno no fórum romano, as melhores coisas para fazer em Roma
Fórum Romano

A 1 km do Coliseu, ficam as ruínas do Circo Massimo, local onde aconteciam competições esportivas – a mais famosa delas a corrida de bigas. Quem assistiu aos filmes sobre a Roma Antiga consegue imaginar como eram essas charretes puxadas por cavalos velozes. Após novas escavações, foram descobertos achados arqueológicos e o Circo Massimo voltou a receber visitantes em 2016. 

Devido à passagem do tempo e às ações do homem, a maioria dos monumentos do Império Romano são agora ruínas. Uma das exceções é o Pantheon, considerado a edificação mais conservada da Roma Antiga. Construído para ser um templo pagão, o Pantheon foi consagrado Basílica de Santa Maria e Mártires no século 7.

Lugares para ir no centro histórico de Roma

A melhor maneira de conhecer o centro histórico é caminhando e lá está repleto de lugares para visitar. Não se preocupe em seguir um roteiro pré-estabelecido porque naturalmente você se perderá atraído por algo que não estava no script. Prefira estabelecer um ponto de partida e a partir dele deixe-se levar pelos atrativos da Cidade Eterna

A Piazza Navona chama a atenção por sua beleza e tamanho. Sua forma retangular é porque foi construída no local onde funcionou um estádio esportivo. A praça abriga três fontes que são verdadeiras obras de arte. Em seu entorno, encontram-se cafés, restaurantes e lojas.

A cerca de 400 m da Piazza Navona fica o Pantheon, espremido pelas ruas estreitas do centro histórico. Uma vez no templo, os olhos são atraídos para a cúpula de 43 metros de diâmetro. Em seu centro, uma abertura de quase 9 m permite que a luz natural ilumine a igreja. Quando chove, a água que entra pelo teto é drenada através de pequenos buracos no chão.

Uma caminhada de 15 minutos te levará à Fontana di Trevi e na sequência à escadaria da Piazza di Spagna, o ponto de encontro dos romanos e turistas.

Para repor as energias, nada melhor do que uma legítima massa italiana esticada à mão. Essa é a proposta do tradicional Colline Emiliane, que faz parte do Guia Michelin.

Entre uma piazza e outra: coma uma pizza 

Em Roma, come-se pizza de todo jeito e a toda hora. Pode ser uma fatia (al taglio), a clássica redonda (tonda), sem recheio (pizza bianca), etc. Para compartilhar com amigos, a pedida é a pizza alla pala, de formato retangular e bordas arredondadas.

duas pizzas num prato com as mãos femininas cortando as fatias

Principais tipos de pizza em Roma

  • Pizza al taglio: pizza retangular, exposta no balcão, vendida em fatias como um take-away. Você escolhe o tamanho do pedaço e paga-se por peso. Opção barata e rápida.
  • Pizza tonda: A clássica pizza redonda é feita com uma massa fina e servida individualmente no prato. Come-se de garfo e faca.
  • Pizza bianca: massa de pizza sem recheio, no geral só leva um pouco de azeite, sal e gergelim, e algumas vezes alecrim.
  • Trapizzino: uma invenção local que ganhou o coração dos romanos. Uma mistura de sanduíche (tramezzino) com pizza, daí o nome Trappizzino. Com formato triangular e recheado com molhos tradicionais de pratos típicos romanos.
  • Pizza alla pala: típica de Roma, esse tipo de pizza é servida em uma tábua de madeira (pala), com formato retangular e bordas arredondadas. A massa lembra um pão chato, é de fermentação mais longa e resulta uma pizza com mais altura, crosta crocante e macia por dentro.

Happy Hour em Trastevere 

A vida universitária somada à variedade de bares e restaurantes faz de Trastevere o bairro mais boêmio de Roma. No fim do dia, esses estabelecimentos começam a receber clientes para o aperitivo, nome dado pelos italianos ao happy hour. Mas engana-se quem pensa que é apenas um momento para beber.

Na maioria dos locais, você paga pela bebida e tem direito a petiscos como bruschettas, frios e até pequenas massas. A comida é tão farta que essa promoção é chamada de apericena, uma combinação de aperitivo com cena (jantar em italiano) e costuma funcionar entre as 18h e 21h.

Conhecer o Vaticano

O Vaticano é o menor país do mundo e está sempre presente nos roteiros de Roma. Reserve pelo menos um dia para visitar a Basílica de São Pedro, a Capela Sistina e os Museus do Vaticano. Os Museus do Vaticano formam um complexo com nove museus, várias salas de coleções e sua atração principal: a Capela Sistina.

Estátua de São Pedro no Vaticano em Roma
Estátua de São Pedro

A entrada na Basílica é gratuita, mas chegue cedo porque a fila é longa. Se tiver interesse, vale a pena subir na cúpula (acesso pago – reserve seu ingresso) para ver a obra projetada por Michelangelo e, na área externa, admirar a vista da Praça de São Pedro e de Roma.

Para otimizar a visita, pesquise previamente as áreas de interesse no site dos museus, onde é possível agendar o dia e hora da visita.

Fazer um Tour Gastronômico em Roma

pizza (al taglio) à fatia em exposição em Roma
Pizza al taglio | © Enginkormaz

Não faltam monumentos, museus, sítios arqueológicos e parques para conhecer a história e a cultura romana. Mas a tradição e os costumes romanos também são revelados em sua culinária por meio de ingredientes, receitas, pratos, lugares e formas de degustá-los. Fazer um food tour em Roma é uma forma diferente e prazerosa de experimentar a cultura local.

No roteiro, você visitará mercados, bares e restaurantes de polos gastronômicos, como os tradicionais bairros Testaccio e Trastevere.

Reserve Food Tours em Roma

Passear de bicicleta pela Villa Borghese

A Villa Borghese é um belíssimo parque no coração de Roma. Mais do que uma área verde, o local abriga museus, teatro, cinema, zoológico, ludoteca e outros espaços infantis. Para os amantes das artes, o destaque é a Galleria Borghese, um museu que concentra obras de grandes mestres, como Caravaggio, Rafael e Bernini.

Para quem prefere atividades ao ar livre, passear de bicicleta pelo parque é um programa muito aprazível. É possível alugar bikes individuais, para duas pessoas, motorizadas e até carrinhos de golfe para percorrer os jardins da Villa Borghese. No percurso, você encontrará árvores centenárias, fontes, estátuas e monumentos.

Visitar os Mercados de Roma

Os mercados fazem parte da rotina dos romanos, tanto para comprar produtos frescos como para degustar pratos típicos locais.

  • Mercato Centrale Roma fica dentro da Estação Termini, a mais importante da cidade. Por estar num lugar de passagem, ele é bastante procurado pelos viajantes.
  • Mercato Campo di Fiori é uma grande praça onde funciona uma feira livre. Lá você encontra um pouco de tudo: produtos frescos, flores, temperos, carnes e queijos. 
  • Mercato Testaccio, outra opção para visitar, oferece uma experiência completa: tanto se compra hortifruti quanto se come da culinária local.

Book Market Tours in Rome

Descobrir que Gelato não é sorvete 

mãos segurando 3 gelatos em frente ao Coliseu em Roma
Gelato em Roma | © Roman Drits

Sorvete e gelato não são a mesma coisa. Embora tenham ingredientes comuns, há diferenças na preparação. O gelato é produzido artesanalmente e seu sabor é obtido com produtos frescos, menos gordura e sem conservantes.

A relação dos italianos com o gelato remonta ao Império Romano, quando ele era feito com gelo raspado e frutas. Com o tempo, o leite foi introduzido na receita, mas a preparação ainda era um desafio por causa da refrigeração. Consequência: a sobremesa era restrita à realeza. Falando nela, foi no casamento da rainha Catarina de Médici que o gelato conquistou fama internacional.

De lá para cá, o preparo ficou mais prático e fácil. O que não mudou foi o amor dos italianos pelo gelato. Existe até um guia – o Gambero Rosso – que avalia e indica as gelaterias que se mantêm fiel à produção artesanal.

Reserve Experiências de Gelato em Roma

Aprender a fazer massas e pizzas em uma aula de culinária italiana

Fazer aulas de culinária em Roma é uma ótima maneira de aprender sobre a cultura local e descobrir os segredos das massas, pizzas, gelatos, tiramissu e outras delícias mais. Os cursos são oferecidos por restaurantes, escolas de culinária, chefs e até mesmo por moradores locais.

Também é possível combinar aulas de culinária e passeios gastronômicos em mercados e pizzarias, por exemplo. É uma proposta interessante onde você descobre a procedência das matérias-primas, faz a degustação dos produtos locais (azeites, vinagres, licores etc) e, por fim, aprende a preparar uma massa ou pizza tipicamente romana.

Reserve Aulas de Culinária em Roma

Tomar café no bar

espresso in a ceramic cup
Espresso | © nophadon

Os italianos tomam café no bar. Por mais que soe estranho, é isso mesmo: BAR. É o mesmo nome dado aos estabelecimentos de bebidas alcoólicas, mas com outro conceito. Os bares que vendem café abrem de manhã logo cedo e encerram as atividades no final do dia. As diferenças não param por aí.

Tomar café al banco (no balcão) fica bem mais barato do que fazê-lo al tavolo (na mesa). Se o cliente escolher al banco, ele paga primeiro e bebe o café depois, direto no balcão.

Na segunda opção al tavalo, senta-se à mesa, pede o café primeiro e depois vem a conta.

Desvendar o Bairro Testaccio: a Roma dos romanos

Para conhecer uma Roma menos turística e mais autêntica, a dica é visitar o bairro Testaccio. De bairro operário a polo cultural, ele passou por muitas mudanças urbanísticas. No antigo matadouro funciona uma escola de música, uma faculdade de arquitetura e o Museu de Arte Contemporânea de Roma.

Outra estrutura desativada transformou-se na Città dell´Altra Economia, um espaço comercial que promove práticas sustentáveis e com baixo impacto ambiental, incluindo feira de alimentos orgânicos, restaurante, etc. Quem também recebeu uma repaginada foi o Mercato Testaccio, remodelado mas preservando sua estrutura original.

Mesmo com todas essas transformações, o bairro Testaccio não perdeu sua essência e continua sendo um bom lugar para visitar em Roma, principalmente para quem busca sentir de perto a rotina da capital italiana.

Ter uma vista panorâmica de Roma a partir do Monte Gianicolo

Rome landscape, view from Gianicolo Hill in Rome
Rome Landscape | © marcoleoniddi

O Monte Gianicolo não faz parte das sete colinas de Roma, mas proporciona uma das mais belas vistas da cidade. Ele fica na parte alta de Trastevere, ou seja, dá para incluí-lo no seu roteiro de Roma pelo bairro. É possível chegar de ônibus, de carro ou a pé. Se caminhar a partir da Basílica di Santa Maria in Transtevere, levará uns 15 minutos até lá.

No percurso, dois lugares para admirar: a Igreja de San Pietro in Montorio, onde dizem que São Pedro foi crucificado. Já na área do Monte Gianicolo, você encontrará a belíssima Fontana dell´Acqua Paola. Do cume da colina, se tem uma vista privilegiada de Roma e do Vaticano.

Extra: Vinícolas nos arredores de Roma: bate-volta a Ariccia

Castelli Romani é uma região próxima a Roma, conhecida produtora de vinho, em especial do vinho branco Frascati. Por estar a menos de 30 km da capital italiana, é um ótimo bate-volta de Roma para visitar as vinícolas da Strada dei Vini dei Castelli Romani. Ao todo, 16 cidades fazem parte desta Rota do Vinho, algumas com denominação de origem controlada.

Uma das cidades mais visitadas é Ariccia, famosa pelo porchetta, um leitão temperado com ervas finas, pimenta do reino e assado lentamente. Para ir até Ariccia, uma das opções é pegar um trem na Estação Termini, em Roma, e descer na cidade de Albano Laziale – que fica a 2 km de Ariccia. Esse pequeno trajeto pode ser feito com os ônibus que saem da Piazza Mazzini.

Reserve Bate-volta para a região do Castelli Romani

Similar Posts