Gastronomia

A Culinária Portuguesa: Uma história entre com(idas) e vindas

foods and sweets of Portuguese culinary inspired from the great travels and ingredients from around the world

Famosa internacionalmente, a culinária portuguesa é de dar água na boca. Para muitos, o bacalhau é a primeira iguaria que vem à mente. Mas esse guia culinário mostra que a comida portuguesa oferece muito mais sabores, inconfundíveis e únicos. Na mesa, um mix entre cozinha mediterrânea e atlântica, pães, queijos e azeites, tudo de excelente qualidade. Sem falar dos vinhos e sobremesas de comer rezando!

História e Influências

Portugal é o país mais antigo da Europa a ter fronteiras definidas e, ao longo da sua história, recebeu influências de diferentes culturas, como celta, romana e moura. Sua dieta medieval era baseada no pão de trigo e centeio, legumes, verduras, grãos e frutas, mel, azeite e vinho, além de peixe e carne de caça para os mais abastados. 

A partir do século XV, a culinária portuguesa ganhou mais diversidade, graças às descobertas de novos ingredientes na Era das Grandes Navegações.

Da Ásia, vieram a cana-de-açúcar e especiarias, como a pimenta-do-reino, a canela, o gengibre e o cravo-da-índia. A comida portuguesa ganhou novos aromas e sabores. Estas características contribuíram para uma revolução na culinária lusitana, especialmente nos doces portugueses, famosos por usarem muitos ovos.

Leia também: As especiarias e os temperos mais utilizados mundo afora

Durante o século XVI, frades e freiras usavam as claras de ovo para fazer hóstias e engomar seus hábitos. Como precisavam dar um destino às gemas que sobravam: acabaram virando doces. Que solução divina!

Ao mesmo tempo em que navegadores portugueses retornavam para casa com novos temperos e sabores, também deixavam sua influência na gastronomia das colônias, por mais distintas e distantes que fossem, como Brasil, Índia e Japão.

A paixão dos brasileiros por doces, por exemplo, é uma herança portuguesa. Uma das novidades trazida pelos colonizadores foi a sobremesa, ou seja, o hábito de comer doces após as refeições. Outras influências estão representadas em vários pratos típicos do Brasil, como a feijoada, uma adaptação do cozido português, e até mesmo a cachaça, criada nos engenhos de cana-de-açúcar como substituto da bagaceira, aguardente vínica.

Feijoada Transmontana com carne de porco e feijão vermelho tradicional de Trás-os-Montes
Feijoada à Transmontana | © nataliaspb

Na Índia, receitas como o curry “Vindaloo”, inspirado nos pratos portugueses com tempero marinado vinha d’alhos, é tradicional em Goa (estado governado por Portugal até 1961); e o “Sorpotel” de Mangalore, cidade ao sul de Goa, é baseado no sarapatel alentejano.

O famoso prato japonês Tempura recebeu influência do Peixinho da Horta que, apesar de ter o mesmo nome de uma PANC (planta alimentícia não-convencional), também é uma receita portuguesa em que se fritam vegetais empanados.

Principais Ingredientes e sabores da culinária portuguesa

Com pouco mais de 92 mil quilômetros quadrados, Portugal tem área comparável à do estado brasileiro de Santa Catarina. Apesar das dimensões modestas, o país europeu oferece uma diversidade incrível de ingredientes e sabores para encantar qualquer paladar. Banhado pelo Oceano Atlântico, Portugal tem, na opinião de muitos chefs internacionais, “o melhor peixe do mundo”, sempre fresquíssimo, assim como seus mariscos e frutos do mar. Dizem que por lá existem até 1.001 receitas de bacalhau, grande estrela na cozinha portuguesa. As receitas são regadas a muito azeite, sempre de excelente qualidade, como os da Beira Baixa, que possuem Denominação de Origem Protegida (DOP). Os temperos mais comuns utilizados na gastronomia portuguesa são o coentro e as especiarias, como canela e noz moscada. E para completar os doces divinos, muitos ovos.

Dicas para você explorar os melhores azeites em Portugal

Um prato com bacalhau e batatas é uma das marcas da culinária portuguesa
Prato com Bacalhau | © Food’n Road

As Bebidas e Pratos Típicos de Portugal: O que não pode faltar na mesa

O bacalhau, claro, está em todos os lugares, em centenas de variações de pratos, sendo os mais populares o Bacalhau com natas, Bacalhau à Brás (com batata palha, ovo mexido, azeitonas, cebola e salsa) e o Gomes de Sá (batata, cebola, ovo cozido, salsinha, azeite e azeitonas). Seja como entrada ou até para um lanche, não deixe de provar os bolinhos de bacalhau que, na maior parte do país, são chamados de pastéis de bacalhau.

E já que estamos falando de peixes, não podemos esquecer da sardinha, geralmente preparada com sal grosso na brasa e uma ótima pedida para o happy hour com um fino (como o copo de chopp é chamado por lá). Também merecem atenção o Polvo à Lagareiro e os Camarões ou Amêijoas à Bulhão Pato, feitos à base de azeite, coentros, alho e vinho branco.

Leia mais: De sardinhas à ovas: A arte das conservas em lata de Portugal

Sardinhas assadas e grelhadas em Portugal tradicional na cozinha portuguesa
Sardinhas grelhadas | © jaime.silva via Flickr

Já nas carnes, a aposta está nos embutidos, como a Alheira de Mirandela, feita de diversas carnes defumadas (originalmente sem porco, como manda a tradição judaica). O Arroz de Pato é outro clássico, assim como o Cozido à Portuguesa, que mescla um festival de carnes com vegetais.

E quem estiver a fim de comer “apenas” um sanduíche, não se deixe enganar pela Francesinha do Porto, uma versão portuguesa do Croque Monsieur: ela vale por uma refeição! Feito de pão de forma e recheado com carne e embutidos, o sanduíche é finalizado com um molho especial, muito queijo derretido e, algumas vezes, servido com um ovo estrelado em cima e acompanhado de batata frita. Prepare o estômago! 

Francesinha de Portugal com muitas carnes e ovo
Francesinha | © Food’n Road

E por falar nos queijos portugueses, a menina dos olhos são os produzidos na Serra da Estrela, que levam Denominação de Origem Protegida (DOP). Mas os queijos DOP de Nisa, de Azeitão e de Évora também merecem atenção. 

Para a sobremesa, os doces portugueses à base de ovos prevalecem, como os tradicionais Pastéis de Nata (que só são chamados de Pastéis de Belém os feitos pela Fábrica dos Pastéis de Belém, em Lisboa). Outros doces clássicos são a Torta de Azeitão, Queijada, Ovos Moles de Aveiro e Toucinho do Céu.

Quando o assunto é bebida, a estrela são os vinhos locais, que podem ser do Vale do Douro – a região demarcada mais antiga do mundo –, do Alentejo ou da região de Vinhos Verdes, para citar as mais conhecidas. 

colheita da uva em Portugal utilizada para muitas bebidas portuguesas
A uva é um ingrediente-chave para muitas bebidas portuguesas | © xp33gt

As bebidas fortificadas, como os vinhos do Porto e Madeira ou o licor de ginja (bem doce e feito a partir de um tipo de cereja) funcionam como um aperitivo ao fim de cada refeição. O licor Beirão leva uma mistura de ervas, canela, hortelã, alecrim, lavanda e cardamomo e pode ser degustado puro ou servir de base para drinks, como o Caipirão, a versão lusitana da nossa caipirinha.

Leia mais: O Melhor da Comida Portuguesa em 30 Pratos Típicos

Tradições Culinárias de Portugal

Numa casa portuguesa fica bem pão e vinho sobre a mesa / E se à porta humildemente bate alguém / Senta-se à mesa com a gente”. A letra da música de Amália Rodrigues resume bem a tradição lusitana que, convenhamos, não é tão diferente da brasileira. Por lá, come-se bem, sem pressa e com vinho para acompanhar. 

O café da manhã, ou melhor, o “pequeno almoço”, como é chamado, é parecido com o nosso: geralmente um pão com queijo acompanhado de café, sem grandes farturas. Já as refeições principais costumam ser servidas com entrada, segundo prato e sobremesa. Começa-se com pão e prato de sopa, sendo o Caldo Verde, feito à base de batatas, cebola, couve e rodelas de chouriço, um dos preferidos dos locais. Para o prato principal, peixes, carnes e embutidos com receitas que passam de geração para geração. 

Mais do que apenas se alimentar, comer em Portugal é um ritual familiar. A sobremesa traz doces típicos, como os Pastéis de Nata ou a Torta de Azeitão. Para finalizar, um cafezinho e/ou até mesmo um vinho fortificado ou licor.

Pastel de Belem
Pastel de Nata | © André Luís

Como explorar a cozinha portuguesa como um Viajante Gastronômico

Esqueça os restaurantes estrelados e de culinária internacional. Para comer como um verdadeiro português aposte nas tascas, uma versão local do nosso botequim. A decoração é simples, mesas com toalhas de papel e imagens católicas ou de times de futebol adornando as paredes. Muitas tascas são comandadas pela família, que cuidam de todas as etapas: da preparação da comida ao serviço aos clientes. Nas tascas, se tiver mesa vaga é só puxar a cadeira e sentar. 

Mesmo sem o cliente pedir, um couvert com azeitonas, queijinhos, pães etc. é disposto à mesa. Mas atenção: essa entrada não é de graça, e você pode recusá-la, se não quiser pagar a mais. Se estiver na hora do almoço, aposte no Prato do Dia, geralmente mais barato, mas igualmente saboroso. E não tenha medo de pedir o vinho da casa: afinal, estamos em Portugal, uma das melhores regiões vitivinícolas do mundo.

Não se acanhe, também, em comer em uma padaria. Seja para um pão com bica (como o café é chamado em Lisboa) ou até para fartos sanduíches e pratos feitos: um autêntico português não dispensa o cardápio das panificadoras de bairro.

Leia também: Conheça 5 experiências gastronômicas para ter em Portugal

comer em tascas é a melhor maneira para experimentar as comidas da culinária portuguesa
Uma tasca tradicional portuguesa | © Food’n Road

Similar Posts