Que tal planejar sua próxima viagem gastronômica para uma cidade reconhecida pela UNESCO pelo valor de sua cultura alimentar? Afinal, assim como a música e as artes, a gastronomia é um importante patrimônio cultural, já que as tradições culinárias de um povo representam sua identidade revelando seus hábitos e costumes.

Por isso, visando à valorização e conservação das culinárias típicas locais em todo o mundo, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) tem reconhecido comidas, pratos típicos e sistemas alimentares como Patrimônio Mundial da Humanidade, além de ter criado o projeto Creative Cities Network – UCCN (Rede de Cidades Criativas).

Rede de Cidades Criativas da UNESCO

O projeto, lançado em 2004, tem como objetivo promover a cooperação entre cidades do mundo todo que possuem como característica comum o uso da criatividade para promoção de desenvolvimento urbano sustentável. A rede abrange sete áreas criativas: artesanato e artes folclóricas, design, cinema, gastronomia, literatura, mídia e música.

As cidades criativas tem como compromisso desenvolver e compartilhar experiências para torná-las mais inclusivas e sustentáveis, realizar parcerias entre setor público e privados e sociedade civil e fomentar programas e redes de intercâmbio profissional e artístico, dentre outras ações.

Para ser designada como Cidade Criativa da Gastronomia, a cidade precisa participar de uma seleção anual promovida pela UNESCO, encaminhando proposta respondendo alguns critérios (ex: relação da gastronomia com a cidade, se existe utilização de conhecimentos tradicionais e ingredientes locais na culinária típica, quais as práticas sustentáveis de produção), além de um plano de ação.

Atualmente duzentos e quarenta e seis cidades foram designadas Cidades Criativas, sendo trinta e seis cidades na área da gastronomia, confira abaixo a lista das cidades e comece a planejar seu próximo destino gastronômico.

Cidades Criativas da Gastronomia pela UNESCO

Afyonkarahisar, Turquia (2019)

Afyonkarahisar ou Afyon, fica na região centro oeste da Turquia, famosa por suas fontes de águas termais. A história de Afyon vem de 3.000 anos a.C., sendo habitada por vários povos, como hititas, persas, gregos, romanos, bizantinos e otomanos.

A rica história de Afyonkarahisar levou a uma herança culinária diversa, com pratos típicos como o pastirma (um tipo de carne bovina curada), o sucuk (tipo de chouriço feito com carne moída bovina ou de frango, temperada com uma especiaria árabe chamada sumagre, alho, sal, pimenta, páprica e tomilho) e a sobremesa ekmek kadayifi (pudim de pão coberto com pistache, nozes e kaymak, um tipo de creme turco à base de leite).

Alba, Itália (2017)

Alba fica na província de Cuneo, região de Piemonte, área tombada como Patrimônio Mundial da UNESCO em 2014 por suas belíssimas vinícolas. A cidade é conhecida como a “Capital da trufa branca”, uma das iguarias mais caras do mundo, sendo sede do famoso evento anual chamado Feira Internacional do Tartufo Bianco (trufa branca em italiano).

Alba também teve um papel fundamental na criação do movimento Slow Food, que preza a qualidade do alimento, respeito ao meio ambiente e preço justo para os produtores e consumidores. Além das trufas, a cidade é famosa por seus vinhos, pêssegos e avelãs.

Arequipa, Peru (2019)

Situada na região sul do Peru, Arequipa é a capital da província que possui o mesmo nome. Arequipa é cercada por vulcões, tanto que boa parte da cidade foi construída com sillar, uma pedra vulcânica de cor branca, o que levou à cidade a ganhar o apelido de “Cidade Branca”.

A cidade possui várias picanterias, restaurantes que servem pratos típicos do local, e o cardápio muda a cada dia da semana. Exemplos de pratos de Arequipa são o chupe de camarões (sopa de camarão com vários temperos), rocoto relleno (pimenta típica peruana que parece um pimentão, recheada com molho, carne moída e queijo) e o adobo arequipeno (carne de porco feito com chicha de jora, bebida fermentada à base de milho).

Belém, Brasil (2015)

Belém é a capital do estado do Pará, situado na região Norte do Brasil. Um dos principais pontos turísticos da cidade é o mercado a céu aberto chamado Ver-o-Peso, um dos mais antigos do país, no qual são vendidas ervas medicinais e alimentos, muitos da região amazônica.

A cidade de Belém possui diversos pratos típicos que utilizam ingredientes locais, como o pato no tucupi (tucupi é um caldo produzido através da fermentação da mandioca), maniçoba (folha de mandioca), tacacá, que consiste em uma sopa feita camarão seco, tucupi e jambu (planta nativa da região norte) e o famoso açaí, consumido tradicionalmente com farinha de mandioca e peixe frito.

Belo Horizonte, Brasil (2019)

Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais, localizada na região sudeste do Brasil. A cidade é conhecida como a “Capital dos bares”, já que detém a impressionante marca de 28 bares por quilômetro quadrado.

Guia de Belo Horizonte, explore cada detalhe da capital mineira

Um dos principais pontos turísticos da cidade é o Mercado Central, famoso por seus queijos, doces e artesanatos.

A gastronomia da capital mineira é um capítulo à parte com pratos típicos como frango com quiabo, tutu de feijão, feijão tropeiro (receita que leva feijão, farinha de mandioca, torresmo e linguiça), leitão à pururuca e frango ao molho pardo, além de produtos símbolos do estado como o pão de queijo e o doce de leite.

Bendigo, Austrália (2019)

Bendigo é localizada no estado de Vitória, região sudoeste da Austrália. A atividade de mineração de ouro no século XIX na região atraiu imigrantes ingleses, irlandeses, alemães e chineses, levando a uma diversidade de culturas. A cidade de Bendigo é famosa por suas vinícolas e cervejarias, além de destacar-se por ser um pólo produtor de alimentos, como queijos, peras, maçãs, cogumelos, grãos e batatas.

Como cidade criativa da gastronomia, Bendigo pretende resgatar e enaltecer a cultura alimentar aborígene (a cidade fica em terras que pertenciam à tribo Dja Dja Wurrung, que já possuíam um sistema alimentar sustentável há 40 mil anos atrás).

Bergamo, Itália (2019)

Localizada na Lombardia (norte da Itália), Bergamo é dividida em Cidade Baixa, onde fica a parte comercial, e Cidade Alta, famosa por seu patrimônio histórico. As partes são divididas por impressionantes muralhas venezianas, consideradas Patrimônio Mundial da Unesco em 2017.

Bergamo é famosa pela produção de queijo, sendo assim a cidade italiana com maior quantidade de queijos de certificação europeia “Denominação de Origem Protegida”.

A cidade também é conhecida por sua farinha de milho para polenta e sobremesas como Polenta e Uccelli (pão de ló coberto com licor de laranja, recheado com pasta de amêndoas com um chocolate em forma de passarinho no topo) e o stracciatella (sorvete de flocos), sabor inventado na cidade.

Bergen, Noruega (2015)

Bergen é a segunda maior cidade da Noruega, sendo porta de entrada dos famosos fiordes noruegueses, vales rochosos que foram inundados pelo mar. O bairro de Bryggen, uma das principais atrações turísticas da cidade, foi considerado Patrimônio Mundial da UNESCO em 1979. A cidade é conhecida por suas práticas de pesca sustentáveis e pela produção de alimentos orgânicos com mais de três mil produtores locais.

Um famoso ponto turístico da cidade é o Mercado de Peixes Fisketorget. Quanto à gastronomia, Bergen é famosa por seus salmões selvagens, a Bergensk fiskesuppe (sopa de peixe) e o Brunost (queijo marrom típico da Noruega).

Buenaventura, Colômbia (2015)

Buenaventura fica na costa do Pacífico e é a maior cidade portuária da Colômbia. A população, em sua maioria afrodescendentes, encontrou na culinária tradicional uma forma de resiliência e pacificação, num local marcado por muitos conflitos envolvendo o narcotráfico.

Desde 2012 o governo colombiano tem promovido políticas para conservar e fomentar esta cozinha ancestral da região.

A culinária da Buenaventura é baseada na diversidade de frutas locais e, por ser uma cidade costeira, nos pescados e frutos do mar. Alguns exemplos são o Arroz de coco, Cazuela de mariscos, Encocados de piangua (molusco encontrado em manguezais da região, preparado com leite de coco, alho, cebola e coentro) e o viche, bebida alcoólica produzida da cana de açúcar.

Burgos, Espanha (2015)

Localizada no norte da Espanha, a cidade de Burgos é conhecida por abrigar o Sítio Arqueológico de Atapuerca, considerado Patrimônio Mundial da UNESCO em 2000. Os achados arqueológicos tornaram a cidade um importante centro de estudos sobre a evolução humana. Esses estudos também contemplam a gastronomia, já que a cidade é sede do Laboratório Mundial da Evolução Gastronômica onde são conduzidas pesquisas ligadas à alimentação e evolução do homem.

Alguns dos pratos típicos de Burgos são as sopas, pratos à base de cordeiro, a Olla Podrida (cozido feito com feijão vermelho e partes de porco), Morcilla de Arroz e o queijo fresco de Burgos, feito com leite de ovelha.

Leia mais: Entre Tapas e Pintxos, tudo sobre os petiscos da Espanha

Chengdu, China (2010)

Chengdu é a capital da província de Sichuan (sudoeste da China), sendo conhecida como a cidade natal dos pandas gigantes. A cidade também é o local de origem da culinária Sichuan, uma das quatro principais cozinhas tradicionais chinesas.

Historicamente, a cidade foi pioneira em várias áreas relacionadas à gastronomia na China, como ter o primeiro museu sobre comida, o primeiro centro cultural do chá, a primeira cervejaria e a primeira cidade do país a ter um chefe de cozinha profissional.

Chengdu é famosa pelo frango Kung Pao, conhecido no Brasil como frango xadrez, um prato feito com frango, pimentões, alho, cebolinha, gengibre, amendoim e pimenta de Sichuan, que na verdade trata-se de casca da semente de uma árvore encontrada na região. Além disso, tem os pratos Mapo Tofu, Guo Kui (panqueca típica) e o Hui Guo Rou (porco cozido duas vezes e temperado com cebolinha).

Cidade do Panamá, Panamá (2017)

Capital do Panamá, com 1,7 milhão de habitantes, a Cidade do Panamá está localizada entre o Oceano Pacífico e a floresta tropical de Darien, caracterizada por uma rica biodiversidade e ecossistema marinho. Isso levou ao desenvolvimento de uma história gastronômica baseada em diversas culturas e recursos naturais. 

Atualmente a cidade do Panamá conta com cerca de 2.500 restaurantes e quiosques de comida e seus pratos mais tradicionais levam muitos frutos do mar e peixe, além de vegetais frescos oriundos de suas plantações. 

O sancocho de gallina também é muito popular em todo o país, consumido principalmente durante o almoço, consiste em uma sopa feita com carne de frango, tubérculos e milho cortados em pedaços grandes, cebola, ervas e outros temperos. Um prato afetivo que pode ser consumido durante o ano todo. 

Cochabamba, Bolívia (2017)

Cochabamba, situada na região central da Bolívia, é a terceira maior cidade do país e fica a 2.558 metros de altitude. Sua relação com a gastronomia vem desde a Era Pré-Columbiana, época em que a região era a maior produtora de grãos do Império Inca.

Considerada a “Capital Gastronômica da Bolívia”, a cidade de Cochabamba possui como pratos típicos a Lhajua, (molho picante utilizado em carnes e sopas feito com pimenta rocoto, uma espécie de coentro chamada quilquina, tomate e cebola), a sopa de mani (sopa de amendoim feita com carne bovina ou frango, ossos, batatas e ervilhas) e o silpancho, uma espécie de prato feito, que consiste em arroz branco, batatas à dorê, ovo frito e bife ou frango à milanesa.

Dénia, Espanha (2015)

Dénia é uma cidade costeira à beira do Mar Mediterrâneo rica em história com influência de várias civilizações, como ibérica, romana, islâmica e cristã. A cidade é famosa por suas praias, pelo Parque Natural de Montgó e por seu castelo, onde também existe um museu arqueológico.

A cidade possui vários restaurantes de alta gastronomia que, inspirados na dieta mediterrânea, servem pratos típicos à base de frutos do mar e de alimentos produzidos na região. Como pratos típicos de Dénia estão o camarão vermelho de Dénia, o Arroz a banda (arroz feito com lula, caldo de peixe, tomate e vários temperos, como pimenta, páprica e louro), o Espencat (pimentão, tomate, berinjela e cebola assados) e ouriços do mar.

Ensenada, México (2015)

Conhecida como Cinderela do Pacífico, a cidade costeira de Ensenada fica na província de Baja California. Ensenada possui o segundo porto mais importante do país e o título de Reserva Mundial do Surf (só existem onze no mundo), pelas condições de suas ondas e influência do esporte na cultura da região.

Além da pesca e maricultura, a cidade de Ensenada destaca-se pela produção de vinho, cerca de 90% da produção nacional.

A cidade de Ensenada é famosa por seus tacos de peixe e o caldo Siete Mares, feito com camarão, amêijoa, mexilhão, peixe, lula, polvo e caranguejo, temperados com pimenta jalapenho. Uma de suas bebidas típicas é a clamato, feita com suco de tomate, amêijoas, suco de limão e vodca.

Florianópolis, Brasil (2014)

Florianópolis é a capital do estado de Santa Catarina (região sul do Brasil), localizada em uma ilha e bem conhecida por suas lindas praias. A cidade é uma das capitais brasileiras com maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Quanto à gastronomia, a cidade de Florianópolis é famosa pelos pratos à base de frutos do mar. Um exemplo são as ostras, já que a capital é a maior produtora de ostras do Brasil. Outros pratos famosos da ilha são a Sequência de Camarões que consiste em camarões preparados de diversas formas (fritos, assados, à milanesa, cozidos no vapor) e peixes como a tainha e a anchova.

Gaziantep, Turquia (2015)

Localizada ao sul da região da Anatólia, na Turquia, Gaziantep é uma das mais antigas cidades do mundo. Tem uma história que remonta ao Período Paleolítico, sendo lar de diversos povos. Devido à sua localização especial na Rota da Seda, a cidade de Gaziantep cresceu e tornou-se um importante centro de crenças, tradições e conhecimentos científicos com uma infinidade de museus, sítios arqueológicos e locais de importância histórica. 

Gaziantep possui uma grande variedade de produtos agrícolas, como grãos, legumes, frutas e dezenas de diferentes ervas locais e temperos capazes de criar mais de quatrocentos pratos diferentes. A cidade também possui uma imensa diversidade de técnicas de cozimento e modos de consumir os alimentos – um exemplo é o kebab, um dos pratos mais famosos de Gaziantep, que possui mais de trinta variedades.

Hatay, Turquia (2017)

Situada na região sul da Turquia, no coração do vale Amik, a cidade de Hatay possui uma identidade multicultural herdada de sua localização na antiga Rota da Seda. Dizem que treze civilizações mundiais influenciaram e moldaram sua gastronomia com cozinhas do Oriente Médio, Anatólia e Mediterrâneo.

Como pratos típicos de Hatay, destacam-se o Zeytin Salatası (salada de azeitona) que é feita desencaroçando as azeitonas verdes uma a uma em uma tigela de cobre e servida com azeite de oliva e xarope de romã. Outro prato famoso é o Abugannus, feito a partir de berinjelas, tomates e pimentões grelhados na brasa ou no forno de pedra, servido também com muito azeite e xarope de romã.

Hyderabad, Índia (2019)

Conhecida como a Cidade das Pérolas, Hyderabad esta localizada no estado de Telangana, centro-sul da Índia. É a segunda maior cidade do país e um importante ponto de encontro entre as partes norte e sul, sendo famosa por seus monumentos históricos como o Charminar (Mesquita dos Quatro Minaretes) e o forte Golconda.

A culinária local é um amálgama de várias culturas diferentes. Dentre os pratos mais famosos da Índia está o tradicional Hyderabadi Biryani, encontrado em qualquer lugar da cidade, feito à base de arroz, carne de cordeiro ou frango, legumes e muitas especiarias. Já o Qubani Ka Meetha é uma sobremesa feita de damascos secos e coberta com amêndoas, geralmente consumida com sorvete.

Jeonju, Coreia do Sul (2012)

Jeonju é uma cidade conhecida por sua gastronomia e indústria de alimentos. A cidade possui tradição na produção de alimentos como arroz, peixes oriundos do Mar Amarelo e legumes e verduras frescas, sendo reconhecida como referência de comida coreana tradicional de alta qualidade.

O Festival Bibimbap de Jeonju é o maior festival gastronômico da cidade, reunindo cerca de cem mil pessoas todos os anos e acontece desde 2007.

Um dos pratos mais tradicionais de Jeonju é o Bibimbap que dá nome ao festival, considerado o prato nacional coreano. Ele é servido em uma enorme tigela que contém arroz glutinoso, uma variedade de vegetais, carne e uma pasta de pimenta vermelha, o gochujang

Macau, China (2017)

Localizada na margem ocidental do Delta do Rio das Pérolas, a cidade de Macau foi colônia de Portugal e um importante centro comercial. A culinária macaense tem muita influência da cultura marítima portuguesa, com especiarias e culturas alimentares trazidas da África, Índia e da costa de Malaca que foram incorporados aos pratos locais ao longo dos séculos. Esta combinação de culinária oriental e ocidental, denominada “Cozinha de Fusão” fez com que a culinária macaense fosse designada como patrimônio intangível pelo governo local. 

Um prato típico de Macau é o minchi, que consiste em carne moída, batata frita em cubos e ovo frito, acompanhado de arroz glutinoso.

Mérida, Mexico (2019)

Mérida é a capital do estado de Iucatã no México e fica no sudeste do país. A cidade tem a reputação de oferecer um elevado nível de qualidade de vida com muitas áreas arborizadas. Em 2000, Mérida foi nomeada Capital Americana da Cultura graças a sua inclinação para as atividades culturais com muitas bibliotecas, teatros, galerias de arte e museus.

A culinária local de Mérida é um pouco diferente da tradicional mexicana devido ao isolamento geográfico da região de Iucatã, possuindo origem maia e influência europeia, especialmente espanhola e também das Caraíbas. Dentre os ingredientes mais utilizados estão as pimentas e a carne de porco, como é o caso da Cochinita Pibil, um prato no qual a carne é marinada com urucum, toranja e vários condimentos, para depois ser assada no forno em folhas de bananeira.

Östersund, Suécia (2010)

Localizada em uma região escassamente povoada no centro da Suécia, a cidade de Östersund é apreciada por sua cultura gastronômica baseada em alimentos locais sustentáveis e inspirados em tradições culinárias de longa data.

A cidade é a principal fornecedora de produtos alimentícios em sua região, além de destacar-se por práticas sustentáveis como a utilização de biocombustível e biogás em seus sistemas de aquecimento. 

Os produtos alimentícios típicos da região variam de salsichas a chocolates e trufas. A cidade de Östersund também abriga várias cervejarias artesanais, fabricantes de queijos e outros produtos lácteos derivados do leite de cabra ou de vaca. 

Overstrand Hermanus, África do Sul (2019)

Localizada na província de Western Cape na África do Sul e banhada pelo Oceano Atlântico, a cidade de Overstrand Hermanus fica próxima à Cidade do Cabo e possui uma natureza ímpar com inúmeros resorts. 

A cidade de Overstrand Hermanus também acomoda muitos vinhedos, cafés, bares, pubs e uma ampla variedade de restaurantes, sendo possível experimentar carnes de diversos tipos, como filé de avestruz ao molho de pimenta, bife de veado e pernil de cordeiro marinado em vinho tinto. Um prato originário do povo malaio da Cidade do Cabo é o Bobotie, uma torta de carne moída com curry que é assada no forno com uma cobertura de ovos batidos e leite.

Paraty, Brasil (2017)

Paraty fica no estado do Rio de Janeiro e foi considerada Patrimônio Mundial da UNESCO em 2019 por suas belezas naturais e seu rico acervo histórico. A cidade também é famosa por ser sede da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP).

A influência da cultura indígena, portuguesa e africana em Paraty reflete em pratos típicos da cidade, como a paçoca de banana da terra, farofa de feijão e pratos à base de peixes e frutos do mar, como o Azul Marinho (peixe com banana verde e farinha de mandioca) e o Camarão Casadinho.

A cidade também é conhecida por produzir cachaça artesanal, bebida feita a partir da cana de açúcar.

Parma, Itália (2015)

Situada no norte da Itália, Parma e seu território são universalmente conhecidos por sua herança gastronômica incomparável que oferece produtos ao mundo todo, como o Parmigiano Reggiano (queijo parmesão) e o Prosciutto di Parma (presunto de Parma), ingredientes base para inúmeras receitas.

O setor agroalimentar de Parma está representado em toda a cadeia de produção alimentar, desde o cultivo das matérias primas até a promoção da culinária através de eventos, escolas de gastronomia e museus de alimentos.

A cidade também é famosa por seus pontos turísticos, como a Catedral de Parma, a Galeria Nacional e o Palazzo della Pilotta. 

Phuket, Tailândia (2015)

A cidade de Phuket está localizada na maior ilha da Tailândia, também chamada de Phuket. Com uma população de quase 400 mil habitantes, Phuket é porta de entrada para várias ilhas tailandesas conhecidas por suas praias paradisíacas.

O que comer na Tailândia? Descubra 30 pratos típicos tailandeses

Um dos principais eventos da cidade é o Festival Anual da Cidade Velha, festival muito importante na perpetuação e promoção das expressões tradicionais nos ramos da culinária, artesanato, arte folclórica e artes visuais em geral.

Dentre os pratos típicos de Phuket destaca-se o curry massaman (um curry de origem muçulmana) que leva leite de coco, batata, amendoim torrado, louro, açúcar, canela e molho de tamarindo, além de carne ou frango.

Popayan, Colômbia (2005)

Popayán é uma cidade do sudoeste colombiano com aproximadamente 300.000 habitantes. A cidade é conhecida como “Cidade Branca” por abrigar vários edifícios pintados dessa cor e por seu centro histórico, local de muitas celebrações tradicionais como a da Semana Santa, designada patrimônio cultural intangível da humanidade pela UNESCO desde 2009.

A culinária de Popayán é uma mistura de três tradições, a pré-colombiana, a africana e a espanhola. Sua riqueza não está apenas nos sabores mas também no simbolismo, ritos, lendas e costumes do povo.

São exemplos de comidas típicas de Popayan o chulkiness, feito a partir do miolo da cana de açúcar, a sopa de tortilla, pão de milho e muitos alimentos em conserva que utilizam amendoim como ingrediente.

Portoviejo, Equador (2019)

Capital da Província de Manabí, no Equador, Portoviejo está localizado no centro da região costeira do país, uma das áreas mais populosas. A cidade é chamada de “Cidade dos Tamarindos Reais” desde os tempos coloniais graças à produção desta fruta nas terras onde a cidade foi estabelecida.

Manabí possui uma gastronomia rica e variada, sendo a província mais importante em termos gastronômicos no Equador. Entre os pratos típicos de Portoviejo estão o viche de peixe ou camarão, uma espécie de ensopado com muitos legumes e vegetais.

Rasht, Irã (2015)

Rasht está localizada no Mar Cáspio, na República Islâmica do Irã e possui um setor de gastronomia que é um verdadeiro patrimônio cultural graças à rica variedade de recursos naturais da região e sua tradição, com receitas antigas e metodologia exclusiva. 

A cidade possui vários pratos típicos, como o Kateh-Kebab (carne bovina marinada por 24 horas em uma mistura contendo azeite, água de cebola e iogurte e depois grelhada), o Kebab Azedo (carne bovina ou de cordeiro temperado com cebola, alho, suco de romã e nozes picadas) e o Mirza Ghasemi (berinjela grelhada com alho, tomates frescos e ovos). 

San Antonio, Texas, Estados Unidos da América (2017)

A cidade fica no estado do Texas, sul dos Estados Unidos. Atraídos pelo rio San Antonio, colonos espanhóis estabeleceram-se na região em torno de 1700. Um século depois, imigrantes europeus, asiáticos e africanos instalaram-se na região, contribuindo para a diversidade cultural e culinária da cidade.

San Antonio é conhecida pela culinária Tex-Mex, fusão da cozinha mexicana e americana, tendo como exemplos as enchiladas de queijo, puffy tacos e carne guisada. Outro prato famoso em San Antonio é o Menudo, uma sopa tradicional mexicana feita com estômago bovino em um caldo à base de pimenta chili vermelha.

Shunde, China (2014)

Shunde é um dos berços da culinária cantonesa, situada no centro do Delta do Rio das Pérolas, com Guangzhou ao norte e Hong Kong ao sul. 

Os chefs locais preocupam-se com as cores, aromas e sabores, além do valor nutricional e método de preparação dos alimentos, optando por ingredientes frescos e sazonais. 

Peixe é um ingrediente essencial na culinária de Shunde, graças a sua proximidade com o Rio das Pérolas, sendo populares a carpa de lama, o peixe Ju e a carpa do limo. Outro prato típico da cidade é o pudim de leite com duas camadas, feito com leite, claras de ovos e açúcar. 

Tsuruoka, Japão (2014)

A cidade fica na província de Yamagata (região de Tohoku), sendo conhecida principalmente por abrigar o Dewa Sanzan (Três Montanhas de Dewa, áreas sagradas para a religião Shugendo, que mistura elementos do budismo e xintoísmo).

As montanhas possuem forte influência na gastronomia de Tsuruoka. Um exemplo é o shōjin ryōri, estilo de culinária budista vegana que pode ser experimentada por montanhistas no templo Saikan, situado no topo de uma das montanhas.

A cidade, cercada pelas montanhas, planícies e pelo Mar do Japão, produz vários tipos de alimentos e possui vários pratos típicos, como o gomadōfu (tofu feito com gergelim) e o dadacha-mame, soja verde produzida na região.

Tucson, Arizona, Estados Unidos da América (2015)

Com uma tradição de 300 anos de vinhedos, pomares e criação de gado, a cidade de Tucson, localizada no deserto de Sonora, Arizona, tem a maior história agrícola do Estados Unidos. 

Tucson possui uma culinária distinta, desenvolvida a partir de uma história cultural muito diversificada e com técnicas tradicionais de preparação de alimentos passadas por gerações. Conhecida pelo forte setor culinário, a cidade possui programas e regulamentações de segurança alimentar inovadores, com foco na produção e distribuição sustentáveis.

Tucson possui mais de duas dúzias de festivais, feiras e degustações anuais de alimentos, que divulgam as especialidades e tradições alimentares da região. Um exemplo é o evento Tucson Meet Yourself com shows, artesanato e comidas típicas, atraindo mais de 100.000 pessoas anualmente.

Yangzhou, China (2019)

Yangzhou é localizada na parte central da província de Jiangsu e situada na margem norte do rio Yangtze, o mais importante rio da China. A cidade já foi um dos principais centros econômicos e culturais do país graças ao comércio de sal. Atualmente Yangzhou é um importante centro de escoamento de mercadorias e bastante famosa por suas esculturas em jade.

A culinária é motivo de orgulho da cidade, sendo os pratos, mesmo os mais baratos, bem elaborados. O arroz frito de Yangzhou é especialmente famoso, feito com ovos, cogumelos, cenouras, ervilhas, broto de bambu e frutos do mar ou carne. Pratos à base de queijo de soja (tofu) são muito apreciados também, como o tofu picante e o Wensi tofu (sopa).

Zahlé, Líbano (2013)

Com uma população de 150.000 habitantes, Zahlé é a capital e maior cidade da província de Beqaa, no Líbano.

Famosa pelo clima agradável e belezas naturais, também é conhecida como “Cidade do Vinho e da Poesia” por possuir uma cultura que gira em torno das uvas, vinho e arak, uma bebida destilada com sabor de anis, além de ser terra natal de muitos poetas e escritores no passado.

Seu evento cultural mais importante é o Festival do Vinho que acontece todos os anos em setembro com concertos, peças de teatro, recital de poesia e exposições artísticas. 

O rio Berdawni é um local histórico famoso por seus restaurantes à beira da água, oferecendo comida tradicional com muitos pratos feitos com truta, que são considerados especialidade das comunidades Hermel e Anjar.

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments